Recesso no e-Comic

ano-novoNeste final de ano o e-Comic entrará em recesso. Novas resenhas a partir da metade de Janeiro… Enquanto isso dê uma olhada nas resenhas anteriores e vá conferir as atualizações das webcomics resenhadas! o/

Não esqueça que qualquer um pode indicar uma webcomic para ser resenhada através do formulário de contato neste link.

[Resenha] Contratempos Modernos

ecomic-contratemposTexto por K

Novela da Vida Real (sobre fatos “corriqueiros” e coisas que lembram “novela mexicana..”); High School Comics (sobre “a fantástica vida escolar”); Capitão Aleja (sobre um “explorador espacial “)…

Diversas tirinhas no estilo cartum, com motivos diferentes reunidas em um único site. Trata com muito humor, se não todos, a maioria dos contratempos do dia-a-dia.

Contratempos Modernos é de autoria de Rodrigo Chaves e tem tiras novas a cada dois dias! Confira no endereço http://contratemposmodernos.blogspot.com

Palavra do Autor

Eu sempre fiz tiras, cartuns, charges…. Me lembro de eu ainda criança desenhando tirinhas malucas, mostrando para a minha família e tendo que explicar, pois ninguém entendia. Com o tempo eu fui juntando muito material que eu gostava, mas que só tinha mostrado para três ou quatro pessoas, e isso, de uma certa forma, é triste e frustrante. O destino de desenhos não deve ser a gaveta. Então em 2006, vendo os blogs de tirinhas se proliferando na internet, eu resolvi fazer o meu, com o objetivo de mostrar os desenhos para quem quisesse ver e me obrigar a fazer novos desenhos com uma certa periodicidade. Como a maior parte desse material que eu queria mostrar para as pessoas era uma série sobre um dinossauro e um robô que se chamava “Contratempos Modernos”, esse acabou sendo o nome do blog por falta de outra opção melhor, mas acho que o nome acabou servindo muito bem para o que o blog se transformou e o tipo de humor que eu faço.

Quanto a desenhar e criar as tirinhas, eu gosto de me sentir desafiado. Acho que por isso que o blog tem todo tipo de desenhos diferentes e nenhuma série é muito grande. Quando eu vejo que estou dominando alguma coisa, aquilo começa a ficar sem graça para mim. A fórmula inovadora de hoje é o ranço de amanhã. Talvez por isso que eu goste tanto das tiras sem diálogos, é muito desafiador contar uma história só com os desenhos e organizar tudo em 3 ou quatro quadrinhos. Gosto de brincar com a diagramação da tira, com os ângulos do desenho, com o espaço…E nessa tentativa estar sempre forçando os meus limites, sempre tentando fazer algo que eu não sei se vou conseguir, fazer diferente do que eu sempre faço, eu ainda acabo às vezes caindo no meu erro de criança, postando tiras que ninguém entende e eu tendo que explicar, mas é o preço que se paga.

Indique uma webcomic pelo formulário de contato, clique aqui.

[Resenha] Armagedom o homem do final dos tempos

Texto por K

ecomic-Armagedom2
Ilustração do personagem principal

Amagedom é um superherói da cidade de São Paulo, combatendo o crime. A primeira história trata de suas motivações, de maneira envolvente. A segunda promete.

PERSONAGEM

Identidade: Cézar raspantini – Secreta
Altura:1,80m
Peso: 90 kgs
Base de Operações: São Paulo-SP
Primeira Aparição: Armagedom nº 0
Grupo Afiliado: Nenhum

Os autores são Fernando César e Alexandre Rodrigues e pode ser lido no endereço url http://armagedomohomemdofinaldostempos.blogspot.com

Indique uma webcomic pelo formulário de contato, clique aqui.

[Resenha] O Robô de Euclides

Texto por Marcus Beckenkamp

Fabio Ciccone, autor de Magias & Barbaridades, webcomic com maior número de indicações do e-Comic, iniciou pouco tempo atrás uma nova webcomic, que ele leva paralelamente ao M&B. Esta hq online chama-se O Robô de Euclides e serve como uma válvula de escape criativa para o autor.

Euclides é um cientista que está sempre construindo algo diferente e inovador. Até aí, nada demais. O que pega nessa história é exatamente o que o slogan dela diz: “Convenhamos, ninguém ia ler uma hq sobre um cientista se ele não tivesse um robô maneiro”.

O robô está sempre acompanhando Euclides em suas loucas aventuras com as novas invenções que cria. Ele é o grande responsável pelas tiradas cômicas da série e deixa tudo uma grande diversão.

Utilitários do Robô

O autor ainda nos fala um pouco do que virá na série. “Pretendo escrever tiras de outros temas completamente diferentes no Robô de Euclides, meio que nem os Piratas do Tietê, que quase nunca são sobre os Piratas do título mesmo”, diz Fabio.

Viajando por outros estilos, Ciccone prova que não acertou por acaso com Magias & Barbaridades. Conheça esta nova série de webcomics mais descontraídas e sem compromisso.

Palavra do Autor

A ideia de o Robô foi sendo cozinhada por alguns meses. Andava estressado com o Magias e queria um tema diferente. Tive algumas ideias (essas que vou utilizar mais tarde) e a ideia do cientista que tem um robô como melhor amigo me atraiu, por ter possibilidades de diálogo interessantes.

Indique uma webcomic pelo formulário de indicação

[Resenha] Pirates

Texto por K

Um navio pirata chefiado pela capitã Marina: uma pessoa que se auto denomina linda, fofa e doce. Mas que se revela como nada mais, nada menos como a excentricidade em pessoa.

ecomic-pirates-spoiler
Spoiler desta semana!

Uma tripulação em busca de aventuras, piratas rivais, canhões, bichos monocromáticos, e muita ação, é o que promete Pirates, atualmente no 4º Arco (CRISIS DOME). A HQ é colorida e desenhada no estilo mangá. Pirates completou um ano em julho de 2009 e está longe de acabar!

O autor é Yuri Landim e ele publica uma página todos os sábados e nas quartas tem o spoiler da semana, onde o autor retira um quadro da próxima página que irá publicar e deixa o povo com gostinho de quero mais.

Leia Pirates na URL http://pirates-tales.blogspot.com/

Personagens

MARINA – Cheia de atitude, é a capitã pirata.
VISCEN – O segundo mais importante da tripulação de Marina. Sim, sim, um pouco de equilíbrio é bom… Se não o navio afunda…
FLINT – O fortão da tripulação, é meio retardado.
DONED – O bebezão da tripulação.

Indique uma webcomic pelo formulário de contato, clique aqui.

[Resenha] Observatório Lunar

Texto por Marcus Beckenkamp

A pequena lua do planeta Vinkes é praticamente deserta, com excessão de um pequeno Observatório onde vivem sozinhos Ken Makoto e Bola. Esses dois são grandes amigos e trabalham juntos neste lugar que, pra eles, é o paraíso.

Porém a tranquilidade deles acaba quando um meteorito cai na pequena lua. E com ele uma venusiana procurada por mercenários no universo todo.

Capa da parte 28

Vênus (como eles resolvem chamá-la) não fala a língua dos seus novos acolhedores e isso causa algumas confusões, até que o o Bola baixa da internet um dicionário de venusiano e a comunicação melhora bastante.

Achei interessante as referências às tecnologias que utilizamos no dia-a-dia, como quando Ken descobre mais sobre o planeta de sua hóspede através do Wikipedia. Mesma ferramenta que Bola utiliza para atualizar na web a informação de que Vênus está com eles… É esta informação que leva os mercenários até a pequena lua e aí a confusão toda começa!

A arte da história tem muitas referências a famosos desenhos japoneses e os cenários em 3D são de qualidade impressionante!

Com atualizações semanais pelo HQ Nado, a webcomic de Marcos Gratão já tem mais de 50 partes e vem se desenrolando com personagens e confusões cada vez mais interessantes! Confira no link http://www.hqnado.com/observatorio!

Palavra do Autor

Imagine ler uma HQ onde é possível reconhecer elementos de várias coisas que você gosta. Séries de TV, animes, tokusatsus, comics, uma piada que você ouviu de manhã… É mais ou menos isso que você irá encontrar em Observatório Lunar.

Como você poderá observar ao ler as páginas, essa é uma HQ bem diferente, muito animada e num estilo mangá! Para brincar mais ainda com o estilo oriental, eu resolvi fazer a história com um traço bastante parecido com o de Akira Toriyama (Dragon Ball) e Eiichiro Oda (One Piece) no início, mas com o tempo fui mudando para um traço meu, mais maduro, conforme a aventura ía ganhando mais ação, com as lutas contra os vilões.

Todos os elementos de uma boa história estão lá: a donzela em perigo, o herói destemido, o amigo de todas as horas, os policiais carrancudos e algumas gatinhas de maiô. Tudo o que todo fã de quadrinhos gosta e espera encontrar em um mangá. E o melhor: de graça!

Indique uma webcomic pelo formulário de indicação

[Resenha] Imune

Texto por Marcus Beckenkamp

Imune é um vigilante noturno no estilo clássico dos quadrinhos americanos. Ele passa as noites cuidando do povo da megalópole Urbana.

Como todo bom vigilante, Imune tem sua identidade secreta, o rapaz Eduardo, ou o Dado. Ele é um cara comum que sofre dos mesmo problemas de qualquer outro de sua idade. Até dois anos atrás ele nunca imaginou que se tornaria um super-herói.

Capa de Imune #3
Capa de Imune #3

Eduardo sofreu um acidente que esmagou sua coluna e o deixou tetraplégico. Numa experiência genética liderada por alguns cientistas (malucos?) e que envolvia céluals-tronco e raios gama, Dado recuperou seus movimentos. Porém algumas outras características se modificaram em seu corpo.

Graças a tudo isso, Imune tem três garras que saem  do dorso de suas mãos e podem servir tanto como arma, como também uma forma de subir paredes, como um certo cabeça-de-teia. Outra modificação em seu corpo se dá quando está com alto nível de adrenalina, ele simplesmente se torna “imune” à dor.

Imune é de Rosendo Caetano e pode ser conferido baixando os arquivos e lendo através do ComicDisplay (que pode ser baixado diretamente deste link) no site oficial ou no NHQ.

Palavra do Autor

ecomic-imune01
Uma página de Imune

O “Imune” surgiu faz muito tempo. É inegável que ele se parece com o Homem-Aranha, e tem características do Wolverine também. É porque eu sou fã destes dois grandes personagens Marvel desde criança… E estes são uns dos “problemas” do Imune, porque eu não dou tanta continuidade a ele, etc. Já recebi algumas críticas em relação a isto. Acho que o público que o lê deve se entender com estes paradigmas, ou não ler, simplesmente. Mas eu o adoro! E ele tem alguns anos já, embora eu não tenha produzido muito. Ele iria ter outras características, teria uma outra origem, seria mais “humano”, mas quando escrevi a primeira história, bem incipiente, a idéia que fechei foi esta: ele teria sofrido um acidente, e modificações genéticas nas células-tronco tiveram um efeito adverso. Logo ele criou características “mutantes”, e daí a “combater o mal” foi um passo. Ele é o super-herói clássico, nunca tive pretensões de ser “original” (hehehe). Mas esta história ainda não foi contada. Talvez um dia ela seja. Há algo obscuro no meio da trama, e talvez explique o comportamento do Imune. Porque ele tem uma raiva, algo que ativa a “adrenalina”, algo que faz com que ele simplesmente esqueça a dor, e quando ele esquece ela… ele é capaz de tudo. Tudo mesmo: daí que ás vezes ele é muito agressivo. Os bandidos que se cuidem! Mas falando sério: quando a ação termina, então ele paga por ela. Quem já leu as histórias sabe que a “ressaca” do Imune é dolorosa…

Desenhá-lo é agradável, embora eu não tenha muito tempo para os desenhos na minha vida. Parece contraditório, porque é uma das coisas que melhor faço, mas por enquanto é assim. Acho que o Imune, a cada ano, vem me ajudando a dar características próprias ao meu estilo de desenho, e ele tem me ensinado boas coisas. Geralmente quando desenho a HQ, eu faço tudo de uma vez. Passo duas semanas em casa, nas férias, e termino tudo, do roteiro a finalização no computador. E para janeiro de 2010, aguardem a próxima história! Ela já está “bolada”, vai ter bastante ação e talz…: só falta o desenho. hehe

Abraço a todos!

Indique uma webcomic pelo email de contato: indicar@mbeck.com.br.

O “Imune” surgiu faz muito tempo. É inegável que ele se parece com o Homem-Aranha, e tem características do Wolverine também. É porque eu sou fã destes dois grandes personagens Marvel desde criança… E estes são uns dos “problemas” do Imune, porque eu não dou tanta continuidade a ele, etc. Já recebi algumas críticas em relação a isto. Acho que o público que o lê deve se entender com estes paradigmas, ou não ler, simplesmente. Mas eu o adoro! E ele tem alguns anos já, embora eu não tenha produzido muito. Ele iria ter outras características, teria uma outra origem, seria mais “humano”, mas quando escrevi a primeira história, bem incipiente, a idéia que fechei foi esta: ele teria sofrido um acidente, e modificações genéticas nas células-tronco tiveram um efeito adverso. Logo ele criou características “mutantes”, e daí a “combater o mal” foi um passo. Ele é o super-herói clássico, nunca tive pretensões de ser “original” (hehehe). Mas esta história ainda não foi contada. Talvez um dia ela seja. Há algo obscuro no meio da trama, e talvez explique o comportamento do Imune. Porque ele tem uma raiva, algo que ativa a “adrenalina”, algo que faz com que ele simplesmente esqueça a dor, e quando ele esquece ela… ele é capaz de tudo. Tudo mesmo: daí que ás vezes ele é muito agressivo. Os bandidos que se cuidem! Mas falando sério: quando a ação termina, então ele paga por ela. Quem já leu as histórias sabe que a “ressaca” do Imune é dolorosa…
Desenhá-lo é agradável, embora eu não tenha muito tempo para os desenhos na minha vida. Parece contraditório, porque é uma das coisas que melhor faço, mas por enquanto é assim. Acho que o Imune, a cada ano, vem me ajudando a dar características próprias ao meu estilo de desenho, e ele tem me ensinado boas coisas. Geralmente quando desenho a HQ, eu faço tudo de uma vez. Passo duas semanas em casa, nas férias, e termino tudo, do roteiro a finalização no computador. E para janeiro de 2010, aguardem a próxima história! Ela já está “bolada”, vai ter bastante ação e talz…: só falta o desenho. hehe
Abraço a todos

[Resenha] Magias & Barbaridades

Texto por Stephan Martins

“Por Edmund! Os bárbaros realmente chegaram!” Com essas palavras, Remmil, um mago em busca de poder e de prestígio — mas que é constantemente ridicularizado, merecendo ou não — encontra em sua frente Oc, um bárbaro extremamente peculiar que é maluco por Shakespeare.

Os três personagens principais
Os três personagens principais

Magias & Barbaridades, de Fabio Ciccone aborda o mundo de fantasia medieval sobre uma ótica extremamente divertida. Vários elementos de jogos de RPG estão imersos nas piadas, mas sem fazer disso a única fonte de diversão — afinal de contas, não é todo mundo que já jogou.

No início da história, Remmil está indo atrás do Tomo de Edmund, um artefato de imenso poder e desejado por outros magos ao redor do mundo. Oc se junta a ele em sua busca e passam por inúmeros desafios, proporcionando momentos divertidos e engraçadíssimos. Durante sua demanda, conhecem vários outros personagens que, se não são importantes na história, só acrescentam ao humor de ótimo timing de Fabio Ciccone. As piadas não se repetem, e todas as personalidades dos que aparecem são muito bem definidas.

Atualmente, as tiras estão divididas em dois grandes arcos: “A Busca pelo Tomo de Edmund” e “A Procura de Saru Pnit”. São um total de 12 capítulos e mais de quinhentas tiras recheada de humor, sarcasmo e emoção e definitivamente merece atenção.

Leia online, com atualizações semanais, no endereço http://www.magiasebarbaridades.com.

Palavra do Autor

Remmil e Oc
Remmil e Oc

Fazer o Magias & Barbaridades começou como uma brincadeira, um passatempo, que com o passar do tempo foi me envolvendo tanto que se tornou parte de mim mesmo. Os personagens criaram suas próprias vidas, e contar suas histórias passou a ser meio que uma obrigação. Não uma obrigação para com meus leitores, nem uma obrigação para comigo mesmo, mas uma obrigação para com os próprios personagens. E é esse tipo de coisa que eu sinto quando estou escrevendo e desenhando, é como dar vida a alguém… e saber e ouvir dos meus leitores que estou, neste processo todo, conseguindo prover um divertimento, é uma das coisas mais gratificantes que se pode sentir!

Obrigado a todos vocês que me leem e me cobram. E, como gosto sempre de recomendar, espero que se divirtam!

Indique uma webcomic pelo email de contato: indicar@mbeck.com.br.

[Resenha] Tirinhas do Pança

Texto por K

ecomic-clubedopanca01Tirinhas do Pança trata de esteriótipos com humor: A sócia gostosa, o bombado burro, o emo triste… toda a trupe em tirinhas sarcásticas sobre futilidades do cotidiano. “O Pança é o brasileiro malandro, cara-de-pau e cheio de gogó. Fala demais, reclama, xinga, mas é incapaz de mostrar a cara, bater no peito e lutar por uma sociedade mais justa.” Tempera os fatos com a dureza borrachuda de pão amanhecido, mas ainda assim, tem a sua pitada de risos.

O criador desta série é Caetano Cury e você pode encontrar as tirinhas para leitura online, com atualizações mensais, no endereço: http://opanca.blogspot.com

Indique uma webcomic pelo formulário de contato, clique aqui.

[Resenha] Mutunaz

Texto por Marcus Beckenkamp

Mutunaz conta a história de um grupo de super-seres reunidos para lidar com situações ligadas à corrupção e política do país e para “responder de forma extrema ações contra sua espécie ou qualquer tipo de minoria“, como o próprio site oficial descreve.

Um super mostrando seu poder
Um super mostrando seu poder

Apesar das boas intenções, os Mutunaz são considerados os grandes vilões da situação.

Os “supers”, nome dado aos super-seres na hq, são discriminados e sofrem grandes preconceitos por fazerem parte de uma minoria. Preconceito esse vindo tanto da população quanto do próprio governo. O que nos lembra dos mutantes das histórias da série americana X-Men.

Existe ainda um outro grupo formado por alguns dos antigos membros do Mutunaz, mas que parece trabalhar com uma filosofia um pouco diferente do grupo principal. A rivalidade entre eles fica muito clara a medida que interagem.

Escrita e desenhada por Adams Rebouças, esta história, hambientada no próprio Brasil (com direito a presença do Presidente Lula), já chegou ao seu capítulo sete e continua mostrando mais ação e divertindo bastante os leitores. Vale a pena o download!

Leia em http://www.mutunaz.com.br

Palavra do autor

A ídéia da criação de Mutunaz surgiu quando tive a idéia de transformar meus amigos de orkut em personagens de quadrinhos e dar-lhes poderes especiais. Tudo começou como uma grande brincadeira, mas achei que valeria a pena escrever uma história “séria(????)” com um enredo menos clichê do que é distribuido por aí e com descrições de poderes pouco usuais.

Formatei Mutunaz pra web mesmo como forma de divulgação do meu trabalho de uma maneira rápida e acessível.

Indique uma webcomic pelo formulário de contato, clique aqui.