Eu li Scott Pilgrim (e assisti ao filme)

Scott Pilgrim CollectionFaz um tempinho que não escrevo na seção Eu Li aqui do blog. Mas vamos lá.

Eu li os três volumes de Scott Pilgrim com grande espaçamento entre o primeiro e o segundo, e assisti ao filme também um tempo depois de terminar de ler o terceiro e último volume da série.

Os quadrinhos

Gostei muito dos quadrinhos de Scott Pilgrim. A cada volume o traço vai melhorando, os cenários e a quadrinização vão ficando mais pró. Mas o que realmente me envolveu nessa série foi a história, que de algum jeito faz com que nos identifiquemos com ela, mesmo que sua vida não tenha nada de vagabundo como a do Scott.

O foco nos relacionamentos (amizades e romances) e na imaturidade do protagonista nestes quesitos prende bastante o leitor, principalmente quando sentimos que lentamente ele vai evoluindo. Cada personagem tem sua personalidade bem marcada e vai evoluindo também a medida que a história avança.

Bem, as vezes tem coisas sem sentido e que, garanto, continuam sem sentido até o final. No meu ponto de vista isso é um dos charmes da hq.

O traço do autor, Bryan Lee O’Malley, é bem interessante. Tem muitas influências do mangá, inclusive na quadrinização, mas ao mesmo tempo tem um estilo pessoal. Eu gostei muito do visual da história desde o começo. As roupas e acessórios de cada personagem ajudam a entender a personalidade de cada um.

O filme

O filme eu assisti ontem mesmo, então ta fresquinho na memória. Eu gostei bastante, mas esperava algo mais parecido com a história da hq, o que não aconteceu… e isso é ótimo!!! Normalmente as adaptações, como o nome já diz, são versões da mesma história adaptadas para outra mídia. No caso de Scott Pilgrim Vs. The World a coisa é diferente.

Primeiramente um único filme não teria como contar a história do mesmo jeito que três volumes (seis no original) de quadrinhos. E outra, o filme foi produzido antes da série em quadrinhos ser terminada, o que fez dele uma história bem diferente, mas nem um pouco menos interessante.

Uma coisa que me chamou a atenção foram as onomatopéias de quadrinhos utilizadas com brilhantismo no filme. Muito legal! Achei a escolha dos atores muito boa também.

Concluindo

Eu recomendo Scott Pilgrim em ambas as mídias citadas aqui neste humilde blog. Vale a pena ler os quadrinhos e assistir ao filme, e não importa a ordem dos fatores neste caso, porque são duas maneiras diferentes de contar a histórias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *