Sketch de Zoro de One Piece

zoro-sketch

Sketch feito direto com uma caneta Staedtler 0.3 em um papel A4 comum, foi baseado em uma foto de um cosplayer. O personagem é Zoro da série de anime e mangá One Piece.

Rabiscando – Cyborg 009

Este é o Rabiscando, o novo quadro do canal Quick Sketch! Vídeos sem compromissos de rabiscos relax feitos no meu sketchbook direto com caneta.

Este é dos personagens da série Cyborg 009 que eu assistia quando era mais novo. Sempre gostei muito destes personagens! =)

Cyborg 009

Saint Seiya

Os Cavaleiros do Zodíaco é sem dúvida o maior motivo pelo qual eu comecei a desenhar histórias em quadrinhos, lá nos longínquos anos 90, aos meus 9 anos de idade.

Agora comecei a assistir a série The Lost Canvas e bateu a nostalgia total daqueles velhos tempos. Eu não assisto uma série de anime a muito tempo, mas agora estou curtindo ter esse momento de lazer e nostalgia de novo.

Esse fanart eu fiz em homenagem à esse grande sucesso dos mangás e o grande precursor dessa cultura japonesa aqui no Brasil.

Eu li Mondo Urbano

Mondo Urbano é uma hq indie de Eduardo Medeiros, Rafael Albuquerque e Mateus Santolouco. Todos ótimos artistas e quadrinistas brasileiros! Essa obra prova isso mais do que qualquer outra.

A obra é formada pelos seguintes ingredientes: sexo, drogas e rock’n’roll! Além de arte e narrativa muito boas, é claro!

Ela conta a história de Van Hudson, um super rockstar que, dizem, vendeu a alma ao diabo para ser o maior e o melhor! Para contar sobre Hudson os autores usam diversas pequenas histórias com personagens diferentes, mas que se conectam em algum momento.

O interessante é que notamos que cada capítulo é desenhado por um dos três autores e alguns capítulos até dividem a arte de uma mesma página entre eles. Cada qual com seu estilo único.

Mondo Urbano é dividida em três arcos de capítulos: Powertrio, Overdose, Cabaret e Encore. Eles haviam sido lançados separadamente antes, e agora formam o volume um da hq.

Mergulhando nos diferentes estilos de HQs

De uns tempos pra cá, quem acompanha meu blog, está notando que venho estudando cada vez mais a arte dos quadrinhos. Quero encontrar meu jeito de fazer essa arte, algo nada fácil de achar.

Uma coisa é certa, é preciso abrir a cabeça para todos os tipos de quadrinhos existentes. Fechar-se em um único estilo é péssimo. Você fica preso aquilo e, acredito eu, até seu roteiro acaba caindo dentro da mesmisse dos seus autores favoritos.

Sempre utilizei o estilo mangá para desenhar todas as minhas webcomics, incluindo meu atual projeto Tailer, porém antes disso eu passei por outros estilos, mesmo ainda sendo muito imaturo pra entender que “copiar” um estilo não é necessariamente “criar”.

Tailer vai continuar em estilo mangá, não se assuste, mas com o tempo as pessoas vão começar a notar que existe mais do que apenas mangá dentro desta história. E é pra isso mesmo que serve esta hq, falando nisso, um grande laboratório para meus testes e estudos.

Até pouco tempo atrás era apenas um “mangá online” que eu gostava de fazer, mas com a minha abertura aos estudos das histórias em quadrinhos, eu resolvi dar esse sentido para minha série.

Brasileiros como Fabio Moon e Gabriel Bá, Rafael Albuquerque, Roger Cruz, Danilo Beyruth (ainda preciso comprar Bando de Dois, mas já li algo de Necronauta) e estrangeiros como Sean Murphy (Hellblazer), Adam Hughes, Hergé (Tintim), Dave Gibbons (Watchmen), entre outros tem sido novas influências na minha arte. Através deles eu abro meus sentidos para entender diferentes formas do que nos últimos anos eu apenas via em japoneses como Yoshihiro Togashi, Yoshiyuki Sadamoto, Tite Kubo (Bleach), Hiromu Arakawa (Full Metal Alchemist), Akira Toriyama, Clamp e também em brasileiras como Simone Beatriz do Studio Seasons e Érica Awano em Holy Avenger.

Outra grande nova influência para o meu jeito de fazer quadrinhos veio dos livros Desvendando Os Quadrinhos de Scott McLoud e Arte Sequencial de Will Eisner. Este último me provou que eu era um analfabeto quando se tratava do mestre dos quadrinhos ocidentais.

O que quero dizer com esse texto (que acabou ficando enorme) é que se você busca ser um quadrinista melhor deve mergulhar sem preconceito em todas as formas que essa incrível arte possui de se expressar. Pense nisso.

Dicas do dia:

  1. Leia o post Um retumbante tapa na cara do quadrinho nacional no blog Nanquim na Unha do Caracciolo. É um ótimo texto sobre a pobreza do mercado nacional de quadrinhos.
  2. Veja a Biblioteca de Quadrinhos de Sidney Gusman, o editor do Universo HQ. Aqui você pode encontrar um monte de ótimas hqs pra começar a velejar em todos os estilos possíveis da arte sequencial!
  3. Bem… esse final de semana tem página nova de Tailer, oka? #merchan

 

Ricardo de SPY Project

Fanart de Ricardo, o protagonista de SPY Project, webcomic em estilo mangá da Kari Esteves. Acompanhe esta série no MushiComics!

Tentei fazer um estilo um pouco diferente neste desenho, tentei algo mais Shoujo Manga, o “mangá para meninas”. Também aproveitei pra brincar um pouco com a jaqueta/colete dele, mas não curti 100% o volume dela.

Voltando a postar páginas de Tailer!

Hoje voltei a postar páginas inéditas da minha webcomic em estilo mangá Tailer. Leia a página inédita aqui.

Repostando o texto que botei no hotsite:

Depois de muito tempo sem desenhar Tailer, finalmente peguei o dia para uma nova página da série. É uma volta tímida, mas espero manter um bom ritmo de produção.

Passei os últimos meses estudando e viajando nos diferentes tipos de quadrinhos. Fiz um projeto em conjunto com a minha irmã para um concurso de hqs com uma proposta bem diferente de Tailer, mas agora estou voltando para o meu projeto.

Acredito que volto com uma carga a mais de ideias sobre quadrinhos e as formas de produzí-lo. E sinceramente espero que esse tempo de reflexão colabore com a melhora da qualidade da série Tailer.

Conto com os seus comentários para saber se estou seguindo este caminho ou não.

Esta volta também se deve ao fato de que voltei a ter um computador em casa! Como ontem instalei Photoshop, aproveitei e escaneei o desenho do meu último post e brinquei com ele no computador novo! =)

Brincando com a Turma da Mônica Jovem

Fiz esta ilustração da Turma da Mônica Jovem para a Renata, afilhada da minha mulher. Ela tem nove anos e curte muito estas hqs, então me pediu para desenhá-los.

No final eu acabei lendo algumas também e achei bem divertidas! =)