Desenho de Robert Plant (Led Zeppelin)

Ilustração feita para presentear meu tio, que neste natal me deu um bloco A3 de folhas com 180g/m2, alguns lápis para desenho e uma caneta. Prometi que o primeiro desenho que faria usando este bloco seria para ele. Aí está!

É claro que ele é um fã de Led Zeppelin e foi a primeira coisa que intuí em desenhar quando pensei em algo para presenteá-lo. Me lembro de ouvir o álbum IV do Led em uma das férias de verão em que nos encontrávamos na casa de praia da minha avó. Acho que o CD nem era dele, mas certamente era o mais entendido do assunto e me explicou tudo sobre a banda.

Infelizmente não tenho um scanner para o tamanho A3 e não estava afim de arriscar amassar o desenho para digitalizá-lo, então tirei uma foto e fiz o que pude no Photoshop para deixá-lo o menos tosco possível para postar. Para meu tio eu ainda estou analizando se colocarei em moldura ou enviarei apenas a arte original…

Versão maior no DeviantArt

Making Of

Gravei enquanto artefinalizava este desenho para minha primeira tentativa de making of em video. Foi postado ontem aqui no blog. A ideia é começar a interagir mais com os visitantes do blog através de vídeos futuramente, se o feedback deste for positivo.

Materiais

– Folha A3 180g/m2
– Lápis Faber Castell 2B
– Pincel Condor 408 n°0
– Nanquim preto Winsor & Newton
– Copic Originals (kit Warm Gray)

Um ano sem o Rei do Pop

Sempre curti as músicas do Michael Jackson e ano passado serviu para relembrar muitas delas. Dúvido que exista outro artista pop com o nível que ele tinha, em termos de criatividade, musicalidade, dança, originalidade, potência vocal, afinação, perfeccionismo, etc.

Agora com o novo bombardeio das “comemorações” da morte do Rei do Pop voltei a lembrar mais um pouco das minhas músicas preferidas e também acabei lembrando de um rascunho que fiz quatro dias após a morte dele. Segue a ilustração aí feita com caneta bic e baseada em uma das mais famosas fotos dele.

Que ele descanse em paz, se é que vão deixá-lo fazer isso.

Xampu: Lovely Losers de Roger Cruz

Não pude deixar de ficar feliz ao ver a divulgação de um novo trabalho do grande desenhista Roger Cruz. História em quadrinhos nacional e, aparentemente, de MUITA qualidade.

Segue abaixo a matéria completa do site UOL Entretenimento. No mesmo site tem uma galeria com várias imagens da HQ, vale a pena conferir.

Lançamento da editora Devir, “Xampu: Lovely Losers” é o primeiro de uma série de três álbuns escritos e desenhados pelo quadrinista brasileiro Roger Cruz, conhecido por emprestar seu traço à série “X-Men”. Nesta HQ, o autor se propõe a dividir experiências e angústias vividas na juventude, em histórias que falam sobre amizades, sonhos e frustrações.

No texto do informativo oficial do livro, o próprio autor esclarece como surgiu a ideia para a produção do álbum: “Entre o final dos anos 80 e o início dos anos 90, um pequeno apartamento na zona norte de São Paulo estremecia com o falatório, a gritaria, o tilintar de copos e garrafas e o volume no talo do aparelho de som 3 em 1. Embaralhadas com sons de guitarras, bateria e baixo, as palavras eram quase adivinhadas enquanto saíam, entre tragadas e goles, pelas bocas fumacentas. A todo instante, novos maços de cigarro, álcool e discos de vinil eram adicionados à combustão que ardia noite adentro. E tudo se repetia no fim de semana seguinte. Alguns voltavam e vinham com amigos que traziam amigos e outros voltavam no mês seguinte. Alguns demoravam a voltar e alguns não voltavam. Até que ninguém mais voltou. Eu também não voltei. Mas ainda me lembro de muitas coisas e conversei com várias pessoas. Agora, tudo o que eu sei sobre algumas delas está neste livro. Lembranças dos distantes anos 80.″

Para reconstruir este mosaico de memórias, Cruz  centra-se em personagens como a desejada garota Nicole, uma escorpiana linda que cursava o primeiro ano de Química na USP e que gostava de Sombra, vocalista da banda de hard rock “The Suckers”. Ele, no entanto, não estava nem aí para o interesse dela. Após o fim da relação de ambos, ganha força a figura de Max, que ampara a garota e torna-se íntimo dela.

Durante as 80 páginas da narrativa, o leitor facilmente se impressiona com o traço ágil e de muita personalidade de Cruz, dotado de detalhes e expressões realistas. Já as referências gráficas a elementos arquitetônicos e rotineiros da capital paulista, como bares, becos e até pichações nos muros e paredes de banheiros dão fidelidade regional à trama.

“Xampu: Lovely Losers” prova que, além de ilustrador, Roger Cruz também é um brilhante roteirista e contador de histórias.

“Xampu: Lovely Losers”

Autor: Roger Cruz
Editora: Devir
Páginas: 80
Preço: R$ 29,50