Garota do coque

Ilustração feita ontem do final da tarde até a noite. Utilizei uma foto como referência para o traço a lápis no bloquinho de rascunhos e a partir dela fiz o resto numa folha A4.

Estava indo bem até começar a inventar hachuras com o bico-de-pena… aí achei que tinha estragado tudo. Foi então que resolvi usar a técnica de aguada para por tons de cinza no desenho, para ver se ficava melhor. O problema é que o papel era de 90 g/m² e então a coisa fica mais complicada.

No final resolvi experimentar um brush de Photoshop novo (que eu já havia tentado em outra ilustração que nem cheguei a postar aqui no blog) apenas para dar cores à coisa toda. E esse Frankenstein surgiu pouco depois da meia-noite de ontem pra hoje.

O importante é que me diverti e pratiquei mais com meus materiais preferidos.

Versão maior no meu DeviantArt.

Materiais

– Pincel Condor 408 nº 0
– Pincel vagabundo nº 2 e nº 8
– Nanquim Winsor & Newton preto
– Lápis Austria 160 Cretacolor 2H
– Folha A4 90g/m2
– Água
– Photoshop CS5

Making of

Sketch no bloquinho de rascunhos.

Retomando o ritmo

Faz um tempinho que to tentando voltar a desenhar regularmente, mas minha atual situação é meio bagunçada e fica difícil aflorar aquela inspiração de catar as folhas e viajar nas ilustrações e páginas de quadrinhos.

Buscando dar uma forçada e colocar algum conteúdo neste blog, usei este domingo a noite para arriscar uma retomada. O que pude perceber é que já perdi o jeito de desenhar meus próprios personagens e quando voltar a desenhar páginas de Tailer vou precisar usar referências para desenhá-los… por incrível que pareça.

Este desenho que to postando logo abaixo foi a tentativa meio furada deste domingo a noite. As posições e roupas forma baseadas em diversas fotos de revistas e esses deveriam ser os agentes Tailer da minha série de quadrinhos, mas acho que só o Arthur (apesar de eu ter redesenhado umas dez vezes o cabelo dele) e o Cinco ficaram parecidos com os originais.

No fundo valeu o esforço para retomar devagarinho o ritmo perdido.